download (9).jpg

MIBFIP MUNDIAL
 
Missão Brasileira de Forças Internacionais de Paz da ONU

 

A Força de Manutenção da Paz ADMIR será estabelecida em 195 países no mundo. A principal missão é proteger os cidadãos daquele país e supervisionar o trabalho de direitos humanos. Nossa preocupação com a segurança dentro dos países, trabalho humanitário e direitos humanos em caso de crise. A ONU tem operações de manutenção da paz multidimensionais, enquanto ADMIR PKF cuidará na proteção de civis no país em que está definido. Também apoiará o governo a manter a paz, a lei e a ordem, facilitando a assistência humanitária, o apoio à justiça e ao Estado de Direito.

 

DESDE A ADMIR FAZ PARTE DA ONU, APOIAREMOS A MISSÃO DA ONU

 

Esse mandato desafiador é freqüentemente o padrão pelo qual a comunidade internacional, e aqueles a quem nos esforçamos para proteger, julgam nosso valor como mantenedores da paz. A primeira operação de paz a receber este mandato foi a UNAMSIL - Missão de Assistência da ONU em Serra Leoa - em 1999.

O Departamento de Operações de Manutenção da Paz (DPKO) e o Departamento de Apoio de Campo (DFS) têm dedicado atenção significativa à melhoria do nosso desempenho nesta área:

 

Trabalhamos com nossas operações de manutenção da paz para desenvolver uma estrutura conceitual para o POC;
Apoiamos nossas operações para desenvolver estratégias abrangentes de POC, que os auxiliam no aproveitamento de todos os recursos disponíveis para a tarefa;
Estamos desenvolvendo cursos de treinamento de proteção de civis dirigidos a pessoal prestes a desdobrar-se, bem como àqueles que já trabalham em operações de manutenção da paz. Esses cursos são voltados para militares, policiais e civis.
 
Mandato desafiador

As operações de manutenção da paz enfrentaram inúmeros desafios na implementação deste mandato extremamente complexo, mas extremamente importante:

 

Freqüentemente, protegemos civis em condições adversas, com recursos limitados ou insuficientes e com parceiros que às vezes não têm vontade ou capacidade para fazer a sua parte.
As operações de manutenção da paz costumam ser implantadas em meio à expectativa irreal de que serão capazes de proteger todos os civis em todos os momentos.
A natureza dinâmica dos locais em que operamos significa que a situação de segurança pode mudar muito rapidamente.

 

A falha em proteger os civis legitimamente recebe ampla publicidade. No entanto, é importante reconhecer as dezenas de milhares de soldados da paz da ONU que se colocam em perigo todos os dias para proteger os civis dos efeitos da violência física.

 

Seguindo em frente

É importante compreender que a proteção de civis não é responsabilidade exclusiva das operações de manutenção da paz da ONU. É um esforço sistêmico que inclui:

 

o Conselho de Segurança, que fornece proteção aos mandatos de civis;
DPKO e DFS que planejam, implantam e gerenciam operações de manutenção da paz;
Os países contribuintes de tropas e policiais que fornecem pessoal para nossas operações;
As forças de manutenção da paz no terreno que implementam o mandato que lhes foi atribuído;
Mais importante ainda, o governo anfitrião tem a responsabilidade primária de proteger seus cidadãos; A melhoria da proteção de civis no contexto das operações de manutenção da paz da ONU deve ser abordada de forma holística, com vistas a melhorar o desempenho de todos os atores que compartilham o interesse em proteger civis inocentes de violência física.
 
Reuniões do Conselho de Segurança sobre Proteção de Civis

Desde 1999, o Conselho de Segurança se reúne regularmente sobre a questão da Proteção de Civis.